Dada a volatilidade do actual contexto pandémico e as restrições ainda em vigor em Malta, deverá ser bem ponderada nesta fase a realização de viagens não essenciais ao país, incluindo em turismo, não sendo as mesmas aconselhadas.

Caso a sua deslocação seja indispensável, assegure-se de que tem o seu Cartão de Cidadão ou Passaporte válidos e que o seu seguro de viagem cobre os riscos associados ao contágio por Covid-19, nomeadamente a quarentena obrigatória em alojamento turístico.

É obrigatório o uso de máscara em espaços públicos fechados ou ao ar livre para as pessoas com mais de 3 anos, com algumas excepções.

Para viajar para Malta, os viajantes provenientes da UE (ou dos restantes países que integram a chamada “red list”) devem apresentar no momento do embarque um certificado de vacinação, com mais de 14 dias volvidos desde a última dose da vacina,  emitido por um país da UE (“Certificado Digital Covid”) ou por um dos Estados terceiros elencados em https://deputyprimeminister.gov.mt/en/health-promotion/covid-19/Pages/travel.aspx.

Caso não apresentem o referido certificado de vacinação, os passageiros só poderão entrar em Malta mediante a apresentação à chegada de um teste nasofaríngeo RT-PCR negativo ao Covid-19, sendo igualmente exigido o cumprimento de uma quarentena (14 dias) num hotel designado para o efeito pelas autoridades locais, com todas as despesas a correr por conta dos viajantes. 

Os viajantes terão também de entregar o seguinte formulário preenchido na altura do embarque: https://deputyprimeminister.gov.mt/en/health-promotion/covid-19/Documents/PLFHDF.pdf

As crianças entre os 5 e os 11 anos podem exibir apenas um teste nasofaríngeo RT-PCR negativo ao Covid-19, realizado nas 72h anteriores ao embarque para Malta, desde que estejam acompanhadas pelos seus tutores legais vacinados. Os menores de 5 anos estão isentos da apresentação de teste.

Para mais informação, por favor consulte: https://deputyprimeminister.gov.mt/en/health-promotion/covid-19/Pages/travel.aspx.

  • Partilhe